Blog

Passive House: há 10 anos a construir o futuro que queremos

Autor: Passivhaus Portugal
30/06/2021



Foi há 10 anos, em Maio de 2011, que teve início a implementação da Passive House em Portugal com a definição da estratégia em colaboração com o Passivhaus Institut. A Associação Passivhaus Portugal tinha como objectivo promover e desenvolver o conceito Passive House e contribuir para a independência energética e sustentabilidade de Portugal. Esse objectivo continua a fazer sentido e é o mote do trabalho desenvolvido pela associação que tem vindo a implementar uma estratégia baseada na organização de formações e eventos, e numa comunicação direcionada a toda a sociedade (e não apenas ao sector da construção).

 

 

O conceito Passive House é um conceito construtivo que se diferencia pelo alto desempenho, quer do ponto de vista do conforto e da saúde, mas também do ponto de vista energético e da sustentabilidade, isto a um custo acessível. É baseado na exigência e no rigor do projecto e da obra, pois só assim é possível atingir o objectivo principal: construir edifícios eficientes, confortáveis, saudáveis e economicamente acessíveis.

 

 

 

A evolução dos edifícios (© A.R.T. Architects)

 

 

Mas o que é afinal uma Passive House?

 

 

As Passive Houses…

 

 

… Atingem a sustentabilidade

 

Devido à elevada eficiência energética, há uma redução drástica das emissões de CO2 associadas aos edifícios Passive House e, portanto, o conceito contribui para a menor dependência energética e de consumos de combustíveis fósseis. Por outro lado, as baixas necessidades energéticas de uma Passive House podem ser facilmente suprimidas por energia gerada a partir de fontes renováveis, localmente. A Passive House é um importante factor para a transição energética.

 

A Passive House como nZEB e Microgrid (© Homegrid)

  

 

… Contribuem para a saúde e conforto

 

O ambiente interior de uma Passive House é caracterizado pela boa qualidade do ar, conforto térmico (temperatura entre os 20ºC e os 25ºC) e a inexistência de grandes variações térmicas. Isto permite garantir um elevado nível de conforto, além de reduzir o risco de desenvolvimento de patologias no edifício que poderiam por a saúde das pessoas em causa. Assim, as Passive House contribuem para o bem-estar e saúde dos seus ocupantes.

  

A importância da qualidade do ar interior (© João Gavião)

 

 

… Alcançam uma elevada eficiência energética

 

As Passive House representam o mais elevado padrão de eficiência energética mundial. É uma solução testada e comprovada que corresponde inteiramente à definição do NZEB – nearly Zero Energy Building (edifício com necessidades energéticas quase nulas) cuja implementação é já obrigatória para todos os edifícios novos.

 

 

A redução de energia numa Passive House (© Homegrid)

 

 

Permitem edifícios saudáveis

 

Uma Passive House é um edifício saudável, pois respeita os princípios da física dos edifícios, minimiza pontes térmicas e evita o surgimento de patologias (nomeadamente relacionadas com aparecimento de mofos e humidades).

 

 

“Eu vejo pontes térmicas” – adaptação do fotograma do filme “O Sexto Sentido” (© Passivhaus Portugal)

 

 

… São economicamente acessíveis

 

Uma Passive House pode ser construída pelo mesmo preço que um edifício tradicional e os seus custos de operação são bastante mais baixos, devido às reduzidas necessidades energéticas e de manutenção.

  

Fotograma do vídeo “Como reconhecer uma Passive House” (© Deco Proteste & Passivhaus Portugal)

 

 

Ainda tem dúvidas que a Passive House é a solução?

 

Com a estratégia definida e implementada Passivhaus Portugal tem havido um aumento da rede Passive House em Portugal e do número de profissionais para projectar e implementar Passive Houses em todo o país. Por outro lado, há no mercado soluções técnicas (materiais e equipamentos certificados) que apresentam desempenhos compatíveis com os níveis de exigência de uma Passive House.

 

Assim, hoje em Portugal construir uma Passive House não tem de ser mais caro ou mais difícil que fazer um edifício convencional. Desde o projecto de arquitectura, passando pelo dimensionamento, pela obra e até pela monitorização, Portugal tem tudo para construir e reabilitar sob o standard Passive House e fazer a necessária transição do parque edificado para elevados níveis de desempenho.

 

No futuro que queremos construir, ter uma Passive House não deve ser um luxo.

 

Queremos Passive House Para Todos.

Subscreva a Newsletter Passivhaus Portugal

   
   
© 2018 Associação Passivhaus Portugal
by INOVAnet

Associação Passivhaus Portugal