Blog

Eu <3 (adoro) Pontes Térmicas. Será moda ou mood?

Autor: Passivhaus Portugal
26/02/2020



Será a nova moda na arquitectura neste início de ano? Ou apenas o mood de alguns que simplesmente por lapso de criatividade copiam (maus) exemplos?


Será preguiça em fazer diferente? Ou simplesmente desconhecimento? A bem da eficiência energética, do conforto e, principalmente da saúde, será pedir muito… copiarem bem?

 

 

 

 

Os exemplos apresentados foram fotografados em Janeiro deste ano na Praia da Barra e apenas numa localidade, surpreendentemente, encontram-se cinco exemplos de como não projectar e não construir.

 

 

 

 

 

 

São visíveis os topos das lajes em betão na divisão entre pisos. Estes pontos são chamadas de pontes térmicas, pois são uma descontinuidade no elemento construtivo e que provocam uma variação no fluxo de calor. Podem não parecer importantes, mas são causadoras de graves patologias no edifício, desconforto para as pessoas e perdas de energia. 

 

 

 


Conseguem detectar nas fotografias o que está errado?

 

 

 

 

 

 

 

Muitos encaram a arquitectura como a arte de bem desenhar um edifício, uma estrutura… Mas não será a arquitectura muito mais que isso? Não será a arte de desenhar as soluções construtivas de modo optimizado na sua funcionalidade e desempenho?


Os edifícios identificados na Praia da Barra (concelho de Ílhavo, distrito de Aveiro) em construção ou já construídos são exemplos de como a arquitectura e a construção podem comprometer o desempenho de um edifícios para SEMPRE.

 

 

 

 

 

 

 

Já temos aqui falado no conceito de pontes térmicas e no que elas significam na construção nomeadamente de Passive House. Tal como o Lloyd Alter que recentemente esteve em Portugal na 7ª Conferência PassivHaus Portugal descreve “até 30% de perdas de energia podem dar-se pelas pontes térmicas e tudo por causa de um mau projecto”.

 

 

 

 

 

 

Evitar pontes térmicas é um dos princípios das Passive House, mas mesmo em edifícios que não são seguem este conceito, o bom projecto e construção devem prevalecer e estas devem evitar-se.

 

 

 

 

 

 

Os detalhes que vemos nas fotos levam a maiores consumos energéticos para garantir conforto das pessoas que o vão habitar, para já não falar em todas as patologias associadas às pontes térmicas.

 

Devido às diferenças de temperatura destes elementos podem desenvolver-se condensações, humidades e bolores que contaminam o ar interior respirável e são responsáveis por muitas doenças do foro respiratório.

 

As pontes térmicas influenciam negativamente a qualidade do ambiente interior.

 

Patologias como humidades e bolores têm consequências graves também na estética e funcionalidade dos edifícios, com o aparecimento de zonas escuras e manchadas em paredes, chãos ou tectos e até destacamento do revestimento.

 

 


Tag(s): #PontesTermicas, #Conforto, #Saude

Subscreva a Newsletter Passivhaus Portugal

   
   
© 2018 Associação Passivhaus Portugal
by INOVAnet

Associação Passivhaus Portugal